novembro 29, 2009

Um cigarro, por favor...

Concordo que o respeito ao ambiente do próximo seja um ato civil que deve ser cumprido por todos.
Concordo que peguei pesado postando a foto da mão do Gregório. um músico de 58 anos, que acabou nas ruas. Mas não foi o cigarro ou o crack, que hoje em dia deve fumar, a levar esse senhor a confeccionar um tosco instrumento de cordas e ir viver na rua, tirando umas duas ou três músicas em troca de um troco. Foi o álcool, droga legal e barata, que mascara a dor do sofredor, que o consola e o exclui.
O que me incomoda é essa hipocrisia de fechar os olhos para o problema.
Há leis para não vender a menores, mas não há controle.

Também a questão cultural de algumas gerações que cresceram vendo filmes e fotos glamurosas, com pessoas bem sucedidas, graças à atitude de fumar.
Acho que com todos os esclarecimentos sobre os maus do cigarro, quem ainda os fuma, o faz por livre opção.
Acho também que a qualidade do ar que respiramos, graças aos automóveis, industrias, etc...é outra coisa que deve ser cobrada com mais rigor.
Enquanto isso, veremos aumentar o números de bêbados vivendo nas calçadas a pedir: um cigarro, por favor...

3 comentários:

Selena Sartorelo disse...

Olá Lina,

Uma opinião justa eu acho.
Sou fumante e ainda não consegui parar..tento ser o menos inconveniente possível com o meu vício bem antes dessa lei ser aprovada. Mas sem defesas hipocritas ao cigarro, eu agradeço por ser ele o meu vicio ao invés da bebida que além de prejudicar o usuario fere moral e fisicamente quaquer um que esteja próximo e aí ok..não posso fumar em lugare tais , mas posso encher a cara que tudo bem...esquisitas essas leis eu acho.

beijos

Lina Faria disse...

Selena,
tenho a certeza de que você é uma pessoa respeitosa com seu meio.
Entendo que nosso corpo é nosso único patrimônio intransferivel.
Vai da opção, boa vontade e bom senso de cada um.

expressodalinha disse...

Para além de tudo o que disse, há ainda o problema gravíssimo dos "shots" de álcool nas discotecas. É impressionante as mixórdias que lá põem. O álcool é um problema gravíssimo e que suscita a questão das vantagens ou não da venda livre de droga, do ponto de vista clínico e social, claro.

Quem sou eu

Minha foto
Curitiba, Paraná, Brazil
Sou fotógrafa e curiosa. Vivo na cidade de Curitiba e gosto de olhar e documentar a relação das pessoas com os espaços em geral. Levo isso ao pé da letra, quando fotografo as ruas e sua ocupação desordenada. Também nos interiores das submoradias, longe de qualquer padrão de ordem mas com um sentido de segurança, mesmo que penduradas e vulneráveis à primeira chuva. Mas tudo isso tendo como compromisso a beleza, a harmonia. Mesmo na realidade de uma favela, resgatar a dignidade através do belo é o que me interessa. Gosto também, e muito, de design e arquitetura. Da social à contemporânea, o gosto pelo ocupar me interessa. contato: linafaria@yahoo.com.br
Todos os direitos reservados à autora.
Fotos podem ser copiadas desde que com menção à fotógrafa e sem fins comerciais.

Desafio de março

Desafio de março

Minha lista de blogs

Seguidores

Arquivo do blog

em foco